Vejam Só

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Ser mãe de adolescente...

E levantar rindo e deitar chorando.
E querer conversar, dialogar e ter de ficar muda.
E lembrar sempre: e o banho, já tomou? E os dentes, já escovou?
E recolher roupa jogada pelo chão.
“E começar no sábado de manha falando: “filho, não esqueça da lição da Escola Bíblica Dominical”, é encerrar o dia:” e ai, já fez a Lição?”
E escutar: "não achei a revista...”
E pensar que já resolveu um problema e perceber que já tem outro a caminho. E ser chamada de "mãe coruja".
E ser chamada de "museu".
E ouvir sempre "não tem nada haver".
E ler, de repente, uma redação do filho e perceber que ele não entendeu a gente. E preparar um jantar gostoso e ouvir: "to a fim de um sanduba".
E fazer um suco purinho e o filho brigar por um refrigerante.
E querer proteger sem poder.
E ter vontade de abraçar é beijar e ver que o filho nos evita.
E, de repente, perceber que o filho cresceu, quer seguir o seu caminho, e não quer escutar mais a gente.
E pensar, e olhar, e orar. . Mas e também dizer: eu entendo, eu amo, eu quero o melhor para você.
E rir juntos do ontem.
E também pensar: bem que me diziam "filho criado, trabalho dobrado".
Com tudo isso, com todos os problemas, dificuldades, diferenças e crer, sobretudo que ha um Pai que nos ama, que nos guarda, que nos livra que nos ampara que nos cura, que nos liberta e que amamos nosso adolescente do jeito que ele e.
E consagrar cada dia 0 nosso adolescente a Deus.
E vencer cada dia, cada dificuldade colocando-a diante do Pai reconhecendo a nossa dependência dele e sua soberania nas nossas vidas.
Miriam Goulart de Abreu Dias - Muriaé/MG
Revista Visão Missionária - ano 86 - Número 03
terceiro trimestre de 2008/ UFMBB

Nenhum comentário: