Vejam Só

Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de novembro de 2007

A VIDA CRISTÃ NO LAR


1. O que é a vida cristã. A vida cristã é o ato de seguir a Cristo, renunciando os interesses próprios, para que a vontade dele prevaleça em todas as áreas de nossa vida que lhe são submetidas. É o ato de estar figuradamente crucificado com Cristo, para que Ele viva através de nós. Aqueles que nos virem, observarão em nossas vidas, não a nós mesmos, mas as marcas do caráter de Cristo em nossas vidas. Do ponto de vista de Deus, isto é um processo, no qual somos aperfeiçoados dia-a-dia. O profeta Oséias escreveu: "Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor" (Oséias 6.3) . Na vida cristã o aprendizado é diário, aos pés de Cristo, até que se alcance a maturidade espiritual. O apóstolo Paulo assim definiu este processo de aprendizado diário: Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus.(Filipenses 3.13-14). Esquecer as coisas que atrás ficaram, é não ficar remoendo as imperfeições, mas tirar lições dos erros do passado, para que eles não sejam repetidos. Prosseguir para o alvo é entender que a vida cristã não é uma caminhada sem destino, mas um norte para o qual todos os crentes avançam. É o prêmio da soberana vocação em Cristo.
2. Como viver a vida cristã no lar. A partir da conversão sua vida muda, suas motivações são outras, e isto vai refletir em seu comportamento no lar. Como viver esta nova vida, principalmente se os demais familiares não forem crentes. Não podemos partir para o extremo e impor, pela força, que os seus familiares se convertam. Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos exércitos. (Zacarias 4.6b) O Espírito Santo é quem faz a obra, sem necessidade de força ou violência. Não é recomendável também, extrapolar os limites de sua liberdade e "perturbar" os demais familiares em momentos inoportunos. Isto pode fechar as portas para o evangelho. Portanto, seja prudente, sem que isto signifique falta de ação. Observe bem as oportunidades, e aproveite-as com tato para mostrar o amor de Jesus. O testemunho de suas ações soará mais alto que suas próprias palavras.
Se você é pai de família, poderá introduzir paulatinamente o culto doméstico, levando a esposa e os filhos a participarem com alegria da reunião. Leva-los à Igreja depois, será uma questão de tempo.
Se você é esposa, poderá começar o culto doméstico, mas primeiro busque a concordância do marido, para que isto não se torne fator de desagregação familiar. Importante também é participar das reuniões da Igreja, mas não abandone o marido e os filhos à própria sorte. A Bíblia não aprova este tipo de conduta. Procure primeiro cuidar das obrigações do lar, depois vá aos cultos, sem prejuízo da família.
Se você é filho, aja do mesmo modo. Seja obediente, cumpra suas obrigações filiais e mostre que rebeldia é coisa do passado. Se você for conduzido a alguma prática incompatível com a fé cristã, seja educado e responda com mansidão, que seu projeto de vida agora é servir a Cristo de todo seu coração. O que você foi no passado e o que é agora pode ser um testemunho de grande influência sobre aqueles que o cercam

Nenhum comentário: